quarta-feira, 10 de março de 2010

Que fria ...


Todo mundo já ouviu falar no tal "aquecimento global", alardeado aos quatros ventos como o principal efeito da despreocupação do homem com o meio ambiente. Diz a maioria que o planeta está esquentando e que esse fenômeno trará impactos desastrosos para as gerações futuras.
Como o contraponto é sempre interessante, assisti no mês de janeiro uma entrevista com o professor da Universidade de Alagoas, Luiz Carlos Molion, no programa Canal Livre, da Band, onde ele desmistificou essa questão, afirmando que apesar de o homem ser de fato o responsável por muitas tragédias climáticas, o "aquecimento global" não pode ser cientificamente provado. Disse que o ser humano não é capaz de influenciar nessa questão e que, na verdade, as temperaturas cairão nos próximos anos. Alertou que a idéia do aquecimento tem cunho político, já que a produção de energia está intimamente ligada à emissão do gás carbônico, dito como grande vilão do "aquecimento global". Logo, produzindo menos energia em nome da salvação do mundo, os países emergentes também cresceriam menos e isso muito interessa a algumas nações que já tem seu potencial energético saturado (ex: Inglaterra).
Aliás, na Veja de dezembro de 2009, Diogo Mainardi escreveu: “Se os meteorologistas cometem erro de um dia para o outro, como posso confiar em seus prognósticos para 2050 ou, pior ainda, para 2100?”. E agora? Vale a pena dar uma olhada na entrevista com o professor que está no youtube (www.youtube.com/watch?v=JxC_JIwat9s&feature=related). Até...

Um comentário:

  1. Palavras cantadas que quando lidas fazem mais sentido ainda!Gostei de ver "o Rappa" no blog Profº.
    Abraço, Tayse.

    ResponderExcluir